Notícias › 07/04/2017

Brasil é o país com maior número de católicos, revelam estatísticas da Igreja

O Brasil é o país com maior número de católicos no mundo, segundo dados do Anuário Pontifício 2017 e Anuário Estatístico Eclesial 2015. A sala de imprensa da Santa Sé comunicou nesta quinta-feira, 6, que ambas as publicações, redigidas pelo Escritório Central de Estatística da Igreja, já estão sendo distribuídas.

Ambos os relatórios trazem informações sobre a Igreja católica no mundo. Dados relativos a 2015 mostram que, no grupo dos dez países do mundo com maior consistência de católicos batizados, o Brasil está em primeiro lugar, com 172, 2 milhões, o que representa 26,4% do total de católicos de todo o continente americano. Atrás do Brasil, estão México (110, 9 milhões), Filipinas (83, 6 milhões), Estados Unidos (72, 3), Itália (58), França (48, 3), Colômbia (45,3), Espanha (43,3), República Democrática do Congo (43, 2) e Argentina (40,8).

Em todo o mundo, são 1 bilhão e 285 milhões católicos batizados, o que corresponde a 17,7% da população total e um crescimento relativo de 1%. A dinâmica desse crescimento é diferente de um continente a outro: enquanto na África se registra um aumento de 19,4%, na Europa registra-se estabilidade, tendo em vista a situação demográfica local: população com ligeiro crescimento e previsão de declínio para os próximos anos.

Em situação intermediária estão América e Ásia, onde esse crescimento foi de, respectivamente, 6,7% e 9,1%, em harmonia com o desenvolvimento demográfico desses dois continentes.

Queda no número de sacerdotes

As estatísticas relativas a 2015 indicam também que o número de clérigos no mundo é de 466.215, com 5.304 bispos, 415.656 sacerdotes e 45.255 diáconos permanentes. Em 2015, registra-se uma queda no número de sacerdotes em relação ao ano anterior, invertendo a crescente que caracterizou os anos de 2000 a 2014.

A diminuição entre 2014 e 2015 foi de 136 e diz respeito em particular ao continente europeu (-2502), dado que para os outros continentes se registram, de um ano para o outro, variações positivas: 1.133 para a África, 47 para a América, 1.104 para a Ásia e 82 para a Oceania.

Contração de religiosos não padres

Os religiosos professos não sacerdotes constituem um grupo em nível planetário em contração: se em 2010 havia 54.665, em 2015 esse número passou para 54.229. O declínio pode ser atribuído, em ordem de importância, ao grupo europeu, ao americano e ao da Oceania. Na África, esse número aumentou assim como na Ásia, em menor grau.

Diminuição também no número de religiosas

As religiosas professas constituem uma população de certa consistência: em 2015, superaram em 61% o número de sacerdotes de todo o planeta e atualmente estão em declínio. Em nível global, passaram de 721.935, em 2010, para 670.320 em 2015, com uma flexão relativa de 7,1%.

A África é o continente com maior incremento de religiosas, que passaram de 66.375 em 2010 para 71.567 em 2015. Na sequência, está o sudeste asiático, onde as religiosas professas passaram de 160.564 em 2010 para 166.786 em 2015. O sul e a área central da América, entre o início do período e o seu término, mostram um declínio: passa-se de 122.213 religiosas em 2010 para 112.051 em 2015.

Por Canção Nova, com Rádio Vaticano em italiano

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

Comunidade Emanuel Brasil 2014 - 2017 © Todos os direitos reservados