Testemunho do Pe. Rafael

Padre Rafael Fornasier, padre da Comunidade Emanuel e incardinado na diocese de Niterói, testemunha como surgiu sua vocação, para ele toda vocação envolve o mistério da relação do ser humano com Deus.

 

Vivo minha vocação na alegria do Espírito Santo

 

1 - IMG_4316Toda vocação envolve o mistério da relação do ser humano com Deus! Quando se fala de mistério, pensa-se não em algo que não possa ser compreendido, mas em algo cuja compreensão nunca poderá se esgotar. Minha vocação sacerdotal ainda é para mim um mistério que talvez eu só consiga entender plenamente na vida eterna!… Mas a vivo com a alegria do Espírito Santo que me moveu e me move continuamente a servir ao Reino de Deus neste mundo, para a minha própria realização e a realização e salvação de muitos!

 

Os primeiros passos

 

Ainda me lembro bem: após um retiro de carnaval, em 1994, com uma congregação que trabalhava no Noroeste fluminense, recebi um panfleto com uma breve história de São Vicente de Paulo. A vida deste, que se tornou um grande santo da Igreja do século XVII, tocou-me profundamente. Naquele momento pensei comigo: “é bonito ser padre… mas isso não é para mim”…

Entre 1993 e 1994, quando eu tinha de 18 para 19 anos, vivi um tempo de grandes questões sobre minha vida. Para além de tentar vislumbrar possibilidades de profissão (estava terminando a Escola Técnica Federal de Campos dos Goytacazes-RJ, hoje IFF, e trabalhando com música), havia um desejo de aprofundar as coisas de Deus. Em meio a essas questões pessoais e existenciais, acabei sendo convidado a participar daquele retiro de carnaval. Foi o início de um caminho de intimidade com Deus, que teve seu marco em março de 1994, quando comecei a participar de um grupo de oração carismático, na mesma cidade de Campos. Eu só tinha uma vontade: fazer a vontade de Deus! Mas me sentia fraco e tentado por muitas coisas à minha volta, como todo jovem de 19 anos. Na segunda ou terceira noite de participação no grupo de oração, experimentei uma grande efusão do Espírito Santo, após ter feito o passo de suplicar a Deus uma experiência real de sua presença em minha vida.

 

Degustando o Amor de Deus

 

Realmente, essa experiência da efusão do Espírito Santo, que me fez degustar o amor de Deus por mim, suscitou uma reviravolta em minha vida: no dia seguinte a essa experiência, fui comprar uma Bíblia, livros de oração e passei a frequentar as missas todos os dias, sendo que, até então, ia, não com tanta frequência, às missas dominicais.

IMG_3784 (2)Daí em diante, o assunto de me doar a Deus para fazer a sua vontade sempre estava presente. Nessa época surgiu o desejo de viver numa dessas “novas comunidades” que estavam surgindo. Fui seguindo em frente com essa busca, ao mesmo tempo que o tema do sacerdócio ia tomando corpo em meu discernimento. Em 1995, durante o estágio de fim de curso técnico, ajudado pela oração e partilha dos irmãos e irmãs que havia encontrado na região para onde me mudara, decidi fazer o caminho vocacional na Arquidiocese de Niterói-RJ. Depois de muito relutar, acabei tomando a decisão de entrar para o seminário em 1996. Desde o início da vida no seminário, sempre mantive o desejo de ser padre em comunhão com outros estados de vida e não sozinho. Por isso, continuei minha busca por uma vida comunitária e acabei, pouco a pouco, aproximando-me da Comunidade Emanuel. Conheci-a no Brasil e, após contatos no exterior, fui convidado a ir a Portugal e depois à Bélgica para discernir minha vocação comunitária. Com o acompanhamento dos meus sucessivos bispos, acabei ingressando na Comunidade e realizando um longo percurso de formação. Fui ordenado em 2005, na Arquidiocese de Niterói-RJ.

Atualmente, retomo, com estupor diante do mistério da vocação sacerdotal, o refrão do Salmo 116 rezado durante minha ordenação: “Que poderei retribuir ao Senhor pelo bem que Ele me fez? Elevo o cálice da minha salvação, invocando o nome do Senhor”.

Aos jovens rapazes que me leem neste momento, desejo uma só coisa: pedir a Deus a experiência dele na sua vida e deixar que ele lhe mostre a vontade que ele tem para você! Como disse o Papa Bento XVI: “Deus não tira nada, mas dá tudo”.

Padre Rafael Fornasier

Você está em Testemunho do Pe. Rafael
→ Ser Padre hoje

Comunidade Emanuel Brasil 2014 - 2017 © Todos os direitos reservados