Comunidade Emanuel do Brasil

Festa da Ascensão do Senhor – “Homens da Galileia, porque estais a olhar para o céu? Como vistes Jesus subir ao céu, assim há-de vir na sua glória. Aleluia.”

“Um pouco de tempo e já não me vereis, mais um pouco ainda e me vereis”? João 16, 19

Caríssimos irmãos, nesta circunstância mundial causada pelo COVID-19 o Senhor do tempo nos deu viver a Páscoa de maneira inesperada. Mas isso não significou ausência de graças e consolações, muito ao contrário, podemos perceber nos testemunhos trazidos pelos irmãos que estiveram virtualmente no retiro pascal que aconteceu na Casa São José (transmitivo online pelo canal do youtube e instagram), as maravilhas do Senhor, notícia de 27/04/2020, link para acesso: https://emanuelnobrasil.com.br/triduo-pascal-na-casa-sao-jose-uma-oportunidade-para-reviver-o-crucificado-ressuscitado.html

Desde então, começamos um percurso interior de acolhida do Senhor Ressuscitado, talvez nunca antes tivéssemos nos permitido refletir tão profundamente sobre a Ressurreição do Senhor, deixando-nos tocar por Ele, pela Sua vitória sobre o que antes era o pior de todos o males: a morte. 

Vivemos com a liturgia da Igreja a oitava de páscoa saboreando cada uma das aparições de Jesus, a Maria Madalena e outra Maria (Mt 28,1-10), aos dois discípulos de Emaús (Luc 24, 13 – 35),  a Pedro (Luc 24, 33- 34), aos dez dos onze apóstolos (Mar 16,14, Luc 24, 35 -45, Jo 20, 19-23), aos onze com Tomé (Jo 20, 26 – 29), a sete apóstolos no mar de tiberíades (Jo 21 1-23), e agora?

“Vós vos entristecereis,
mas a vossa tristeza se transformará em alegria.” João 16, 20

Com a Ascensão conclui-se a presença de Cristo no contexto histórico e inaugura-se a história da Igreja, a presença de Cristo através de cada um de seus membros. Tendo nos precedido na presença do Pai como nossa Cabeça, para aí nos chama como membros de seu Corpo, como pedras vivas da edificação.

“No entanto, eu vos digo a verdade:
é de vosso interesse que eu parta,
pois, se não for, o Paráclito não virá a vós.
Mas se for, enviá-lo- ei a vós.” João 16, 7

Confiantes nessa palavra do Senhor que nos convida a acreditar na maravilha que é sua obra de volta ao Pai, nos colocamos como os apóstolos que ainda não compreendiam nada. Hoje também acolhemos o ensinamento que repete: “ Não compete a vós conhecer os tempos e os momentos que o Pai fixou com sua própria autoridade.” (Atos 1, 7)

Confiantes no agir livre e amoroso do Pai,  sabemos que na Ascensão “o Senhor não subiu aos céus para nos afastar da nossa humanidade, mas para nos garantir de que a nossa meta é também chegar à casa do pai, então a nossa humanidade segundo o cânon romano entra no paraíso com a Ascensão de Jesus aos céus” nos diz Dom Edmar Peron, bispo de Paranaguá (PR). 

Assim, munidos da esperança de entrarmos no paraíso através desta Festa, celebramos a subida de Jesus a casa do Pai 40 dias após sua ressurreição (Jo 16,10, Atos 1,3).

Algumas Igrejas no mundo viveram essa festa na quinta-feira 21 de maio de 2020. O presidente da Comissão para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) explica que a Igreja no Brasil transferiu a festa da Ascensão para o domingo visando  facilitar a participação da porção do povo de Deus na celebração. 

Louvemos e cantemos como os apóstolos “POR ENTRE ACLAMAÇÕES DEUS SE ELEVOU, O SENHOR SUBIU AO TOQUE DA TROMBETA!”

“Estando, pois reunidos, eles assim o interrogaram: “Senhor é agora o tempo em que irás restaurar a realeza em Israel?” E ele respondeu-lhes: “ Não compete a vós conhecer os tempos e os momentos que o Pai fixou com sua própria autoridade. Mas recebereis uma força, a do Espírito Santo que descerá sobre vós, e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e a Samaria, e até os confins da terra”. (Atos 1, 6-8)

«Depois, levou-os até junto de Betânia e, erguendo as mãos, abençoou-os. Enquanto os abençoava, separou-Se deles e elevava-Se ao Céu. E eles, depois de se terem prostrado diante d’Ele, voltaram para Jerusalém com grande alegria. E estavam continuamente no templo a bendizer a Deus» (Lc 24, 50-53).

«O Senhor Jesus, depois de lhes ter falado, foi arrebatado ao Céu e sentou-Se à direita de Deus. Eles, partindo, foram pregar por toda a parte; o Senhor cooperava com eles, confirmando a Palavra com os sinais que a acompanhavam» (Mc 16, 19-20).

 

Referências:

https://redeexcelsior.com.br/cnbb/2019/05/30/a-solenidade-da-ascensao-do-senhor-e-celebrada-neste-domingo-02-de-junho/ 

http://missalromano-icarh.blogspot.com/p/ascensao-do-senhor.html

Bíblia de Jerusalém

https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2019-05/ascensao-jesus-deus-celebracao.html 

http://www.vatican.va/content/francesco/pt/messages/pont-messages/2020/documents/papa-francesco_20200521_messaggio-pom.html 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

Flickr

  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr
  • A photo on Flickr