Comunidade Emanuel do Brasil

“O Sagrado Coração de Jesus reacendeu meu coração através da missão.”

Meus caros o mês de junho é muito especial, pois temos a solenidade do Coração de Jesus. Gostaria de partilhar com vocês como esse Coração ardente de amor renovou meu coração.

Antes vamos percorrer uma linha do tempo desde os evangelhos, passando por Santa Margarida Maria, Pierre Goursat até chegar a cada um de nós. (Alguns trechos foram tirados do livro Chamados no Emanuel).

São João na última ceia repousa sua cabeça no peito de Jesus, vivendo uma experiência com o coração de Jesus. João percebe o mistério desse coração e compreende que Jesus não é o messias poderoso esperado por Israel, mas sim o cordeiro que veio para nos salvar. João descobre o mistério do coração de Jesus e ele será a base de seu evangelho.

João teve outra grande experiência com o coração de Jesus, aos pés da cruz quando o soldado transpassa o seu lado, e jorra sangue e água. Para João é o ponto essencial da revelação, mostrando o sentido das escrituras.

Dezesseis séculos depois uma jovem de 24 anos entra no convento das visitandinas em Paray le Monial, era Margarida Maria de Alacoque. Na sua primeira visita a capela entendeu a voz do Senhor lhe dizer: é aqui que eu te quero. Nesse convento ela recebeu as revelações, aparições do Sagrado Coração de Jesus.

Foram três grandes aparições. A primeira – dia 27 de dezembro, festa de São João Evangelista. Nessa aparição ela vive três experiências. Primeiro repousa longamente sobre o coração de Jesus, como fez são João.  Depois Jesus diz a Margarida Maria seu imenso amor pelos homens e por ela em particular e pede que espalhe esse amor. Em seguida ela vê seu coração deixar seu corpo, para mergulhar na fornalha ardente do coração de Jesus. Depois seu coração é devolvido transformado pelo amor.

Na segunda aparição Jesus pede para Margarida Maria consolar seu coração, pois só recebe frieza, rejeição e ingratidão. A terceira aparição é considerada a grande aparição, nela Jesus pede que seja instituída uma festa em honra ao sagrado coração.

Trezentos anos depois da última aparição, chegamos em Pierre Goursat. Ele sempre teve um grande amor pelo Sagrado coração de Jesus. Depois de receber a efusão do Espírito Santo no início dos anos 70, ele teve a intuição em 1975 de lançar as sessões da Comunidade Emanuel a Paray le Monial. O santuário que estava praticamente deserto se renova, o Coração de Jesus é redescoberto por muitos. O braseiro ardente reacende muitos corações que estavam congelados.

Pierre Goursat tira do Coração de Jesus, as graças da comunidade, repousar no coração de Jesus com a adoração, levar esse amor a todos os homens é a missão de evangelização, consolar Jesus e ter compaixão pelos homens.

Pierre, assim como Margarida Maria, mergulhou nesta fornalha ardente de caridade para se abrasar pelo fogo de amor. Dizia sempre: É necessário pedir ao Senhor que Ele coloque um fogo no coração. Então queimaremos de amor, que nos conduzirá a missão. O coração para ter vida precisa se contrair e expandir, assim deve ser nosso coração, quando se contrai repousa no coração de Jesus (adoração), quando se expandi sai em missão anunciando esse amor. Se isso não acontece conosco, significa que não há vida em nós. O que bate em nosso corpo é um coração frio, sem amor.

Com essa reflexão sobre o coração sem vida, chego ao meu coração. Estou na Comunidade Emanuel desde 1998, fiz escola de evangelização no ano 2000/2001 em Paray le Monial , depois fiquei mais três anos na França, morando em maisonnée residencial e trabalhando para a Comunidade. Estive inúmeras vezes em Paray e vi muito a graça do Sagrado Coração de Jesus agir nas pessoas. Foram anos intensos. Depois voltei para o Brasil em 2004 e desde 2011 moro em São Paulo, mudei para cá para estar com a Comunidade. Sempre tive muito amor pelo Sagrado Coração de Jesus e pela Comunidade.

No entanto nos últimos três anos passei por grandes combates e comecei a pensar se a comunidade era realmente meu lugar. Não sentia, nem mesmo me lembrava mais do Coração de Jesus. Permaneci fiel aos meus compromissos comunitários, mas meu coração estava morno. Nesse período terminei minha graduação em Teologia e comecei a trabalhar na pastoral de um colégio católico, com uma espiritualidade diferente da Comunidade Emanuel. Com isso me senti ainda mais distante das graças comunitárias, e meus questionamentos continuavam. Em janeiro desse ano tomei a decisão de ir em julho para Paray le Monial, seria a comemoração dos 35 anos da escola de evangelização. Tinha no coração o desejo de me reencontrar com a Comunidade, com Paray e mais ainda com o Sagrado Coração. Mas tudo mudou com a pandemia, sem viagem, sem celebração presencial, isolamento social. Parecia que tudo estava desmoronando, mas o Sagrado Coração de Jesus veio em meu socorro, aqui onde estou, no meu apartamento, sem sair de casa.

Na paróquia em que participamos como Comunidade Emanuel, foi criado um serviço de lives, para manter as atividades funcionando on-line. Todas as pastorais e movimentos tem um horário de segunda a sexta para manter ativa a paróquia on-line. Os responsáveis da Comunidade Emanuel em São Paulo, propuseram o serviço e quem estaria disponível, no início não queria, mas depois senti um impulso no coração para ousar e sair de mim mesma.

Sendo assim junto com os outros irmãos iniciamos a missão da lives que se chama “Emanuel – Deus conosco em missão”.  Começamos partilhando a exortação apostólica – A Alegria do Evangelho, que terminamos na semana passada e agora iniciamos o livro orar 15 dias com Pierre Goursat.

Com essa missão passamos a servir juntos e criamos uma união que não sentíamos há muito tempo. Está sendo uma restauração comunitária, todos os dias, no mesmo horário estamos juntos para apoiar quem está apresentando a live, e fazemos um rodízio na apresentação.

Para mim foi um renascimento pessoal e comunitário, eu redescobri a missão, e foi uma graça dada pelo Sagrado Coração de Jesus. No entanto ainda faltava uma parte do coração para ser reaquecida, para o movimento de contrair e expandir dar vida ao coração. Faltava me repousar no seu amado coração, senti e sinto a necessidade de voltar a adoração da qual estava distante no último ano.

Ele me mostrou como meu coração estava parado e não tinha mais vida, e Ele começou a revivê-lo através da missão. Renovou meu chamado comunitário. Mostrou também que não é necessário ir até Paray le Monial, para ter uma experiência profunda de seu amor. Ele vem até nós, porque nos ama.

Que o Sagrado Coração mantenha sempre aceso em nós o amor pela adoração, compaixão e pela missão.

 

Silvia Duim, membro da Comunidade Emanuel desde 1998, atualmente em São Paulo vem partilhar como Deus reacendeu no seu Coração o Amor ardente do Coração de Jesus em isolamento social (quarentena – COVID-19)… Agradecemos a Deus pois são suas as circunstâncias,  preparadas pelo Amor.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

Flickr